Blog

Posso fazer Orientação de Carreira com uma amiga? – Texto 2 de 3

15 de junho de 2020 • Categoria: Liga de Aprendizagem ColaborativaM. Simeão explicaOutrosSua essência na carreira

Depende.

O motivo que diferencia minha resposta frente à mesma pergunta quando nos referimos à Psicoterapia e à Orientação de Carreira é:

–  A Orientação de Carreira é situada no tempo e tem um foco específico. As sessões semi-estruturadas, que duram em torno de 8 a 12 encontros, permite manter o foco na temática da carreira.

Portanto, não iremos adentrar em temas do campo emocional de forma muito profunda. Caso haja essa demanda, podemos encaminhar o orientando para fazer Psicoterapia com outro colega ou, se for possível, podemos iniciar Psicoterapia no final do processo de Orientação de Carreira (considerar texto 1 para uma decisão mais assertiva).

Mas tem um ponto que pega.

Alguns de nós, orientadores de carreira, trabalhamos na perspectiva do planejamento de carreira como Projeto de Vida (é o meu caso).

A proposta do Projeto de Vida envolve olharmos para a carreira como estando intimamente relacionada às várias esferas da vida do orientando, tais como sonhos/perspectivas de futuro, história de vida, valores, integração com planos familiares, etc.

Isso facilmente adentraria no campo emocional, cujas peculiaridades contraindicaria o profissional a atender um familiar ou amigo, não?

É justamente aqui que entra o “depende”.

Nos casos que o tema da carreira está intimamente relacionado a questões pessoais, avalio os três pontos abaixo para fazer uma escolha assertiva e agir com ética.

 1) Pela escuta da demanda inicial: o possível paciente precisa de psicoterapia ou orientação de carreira?

2) Caso seja Orientação de Carreira: sua demanda profissional guarda relação muito tênue com suas questões pessoais?

3) Caso a resposta acima seja “sim”: temos uma proximidade tal (fora do espaço terapêutico) que o processo de Orientação de Carreira pode ser comprometido por questões para além da nossa relação profissional?*

Acredito que respondendo principalmente a estas três perguntas, estaremos aptos a decidir entre atender nosso amigo/colega/familiar ou encaminhá-lo para aquele colega que confiamos e presta um serviço bacana no mesmo ramo que atuamos.

Assim, estaremos com a mente tranquila e o coração aquecido, por saber que ele estará em boas mãos e que pudemos oferecer a nossa melhor contribuição, escolhendo eticamente ajudá-lo por essa via. 

*Amanhã será lançado o texto 3 “Ainda estou confusa. Orientação de Carreira é indicado e Psicoterapia não?”. Nele trarei alguns exemplos que já aconteceu comigo para melhor ilustrar. Fica de olho. 🙂

Continue lendo

Fique por dentro de todas as últimas novidades do nosso blog.